google-site-verification=0JYI1d-d14OpUVr1E6zaPhdaSX5FEgFGg3ThSj-5cGc

Entre soldados, fazendeiros e poetas...


A cada dia nós tenho mais clareza que a Diferenciação não está nas respostas que buscamos fora, mas naquelas que buscamos dentro de nós.

Então eu quero te convidar para fazer um mergulho dentro da sua história. Dentro do que você se entende como profissional no mercado, pois nós sempre temos que evoluir e buscar a evolução dos nossos alunos.

Infelizmente, muitas escolas e professores ainda vivem na Era Industrial. Se comportam como máquinas que só estão ali para entregar o produto final. Porém, há aqueles que estão em um nível acima. Eles defendem uma causa, um propósito. Pois, como ensinar num mundo em que você não sabe o que vem pela frente?

Para te explicar a diferenças entre essas escolas e pessoas, vamos usar a frase de uma das mentes brilhantes por trás da independência dos Estados Unidos: John Adams, que mais tarde seria o segundo presidente da história norte-americana. Certa vez ele disse: “Nós somos soldados para que nossos filhos possam ser fazendeiros e para que nossos netos possam ser poetas.”

Isso é uma característica básica das sociedades humanas. Primeiro lutamos, para depois criar a estrutura de sustentação e então direcionarmos a nossa atenção para a arte.

Os primeiros são escolas e pessoas que, assim como soldados, com muito suor e dedicação, conseguiram criar os primeiros ensinamentos e conteúdos básicos que precisam ser passados aos alunos para que estes possam viver em sociedade. Não há glamour, o foco é fazer o básico e garantir a vitória.

Depois, temos escolas e pessoas de segunda geração: as fazendeiras”. Construindo em cima dos resultados conquistados pela primeira geração, elas sobem o nível e conseguem criar estrutura e volume. Assim como um fazendeiro, elas focam em expansão e ensino em escala, com qualidade. O foco é performance. Como exemplo, temos as grandes redes de ensino e materiais didáticos padronizados. Estes são, algumas vezes eficazes, outras vezes, distantes da realidade do aluno.

Finalmente, temos as escolas e pessoas de terceira geração. Os professores poetas, artistas, inovadores. Sua principal característica não é existir. Não fazer volume, é inspirar. Eles não focam apenas nas necessidades dos alunos. Mas, sim, nos seus desejos. Eles elevam o espírito humano e fazem seus alunos se sentirem muito maiores do que realmente são. Eles elevam a autoestima e, principalmente, desenvolvem potencialidades. Assim como a poesia.

As primeiras gerações de professores tinham atributos mais duros, frios e analíticos. O objetivo era quantificar o conhecimento, fazer FUNCIONAR.

Mas o MUNDO MUDOU.

Precisamos nos tornar EDUCADORES da terceira geração. Educadores com atributos mais sensíveis, que não estejam somente preocupados em fazer a escola existir, funcionar, mas inspirar.

Os países mais desenvolvidos já entenderam que as escolas precisam ter responsabilidade não só educacional, financeira, social e ambiental. Elas precisam ter responsabilidade com seu público, pois têm o poder de modificar a visão que as pessoas têm de si e do mundo.

Escolas “soldado” ou “fazendeiro” não tinham essa necessidade. Já as escolas “poetas” precisam estar presentes para falar de problemas reais, não ensinar conteúdos fantasiosos que não se conectam mais às pessoas. Escolas poetas não ensinam conteúdos, elas ensinam VALORES!

Enquanto as escolas de gerações anteriores clamam ser melhores, mais eficientes ou mais fortes, as escolas poetas focam nos valores que as representam. No significado que agregam à vida das pessoas.

MENOS BATALHAS, MAIS POESIA.

Para levarmos essa geração de alunos para o próximo nível de evolução, precisamos de educadores com sensibilidade.

Não perca a capacidade de comunicar emoção, pois essa será a ferramenta de transformação das próximas décadas, e, quando necessário, ajude pessoas a desenvolvê-la também.

Essa é a chave para conquistar o coração das pessoas na era das escolas poetas.

A GRANDE QUESTÃO É: Como se comunicar como um educador poeta?


Tornando-se um professor que inspira.


Inspire seus alunos a serem eles mesmos, a se permitirem sonhar e a acreditar que seus sonhos podem se tornar realidade se eles souberem como transformá-los em metas alcançáveis.

Ajude-os a evoluir e evolua você também!


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square